CPA

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é um órgão de representação acadêmica com funções de:

 

– Elaborar e desenvolver a proposta da avaliação interna (autoavaliação).
– Coordenar os processos internos de avaliação da Instituição.
– Sistematizar as informações.
– Divulgar as informações.
– Fornecer as informações solicitadas pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira)

Avaliação interna ou autoavaliação:

É um processo contínuo por meio do qual a Instituição constrói conhecimentos sobre sua realidade, buscando compreender o significado do conjunto de suas atividades para melhorar a qualidade educativa e alcançar maior relevância social.

Composição do CPA:

I –  Coordenador;
II –  Representante do corpo técnico-administrativo;
III –  Representante da sociedade civil organizada;
IV –  Representante discente de cada curso;
V –  Representante docente de cada curso; e
VI – Representante docente dos cursos de Pós-graduação.

Dimensões a serem consideradas no processo de autoavaliação

 

(Estabelecidas pela lei nº 10.861/04)
1 – Missão e PDI (Plano de Desenvolvimento Institucional).
2 – Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação, extensão e normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, atividades de extensão, bolsas de pesquisa, monitoria e demais modalidades;
3 – Responsabilidade Social da Instituição: Contribuição em relação à inclusão social, ao desenvolvimento econômico e social, à defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural.
4 – Comunicação com a sociedade: Estratégias, recursos e qualidade da comunicação interna e externa.
5 – Políticas de pessoal, as carreira do corpo docente e técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e condições de trabalho.
6 – Organização e gestão da Instituição: Funcionamento e representatividade dos colegiados e sua interdependência, autonomia na relação com a mantenedora e a participação dos segmentos da comunidade acadêmica nos processos decisórios.
7 – Infraestrutura física, especialmente a de ensino e de pesquisa, biblioteca, recursos de informação e comunicação.
8 – Planejamento e avaliação em relação aos processos, resultados e eficácia da autoavaliação Institucional: Adequação e efetividade do projeto Institucional e pedagógico de cada curso.
9 – Políticas de atendimento a estudantes e egressos: Programas e critérios utilizados para atender aos princípios inerentes à qualidade de vida estudantil.
10 – Sustentabilidade financeira, tendo em vista o significado social da continuidade dos compromissos na oferta da educação superior.
11 – Outras dimensões: Itens importantes para a identidade institucional, suas especificidades e missão (hospital, inserção regional e outros).

Para respeitar as especificidades de cada instituição e manter sua autonomia, o roteiro de autoavaliação para estas dimensões está organizado em três núcleos:

 

– Básico e comum;
– Temas optativos;
– Documentação, dados e indicadores.

ETAPAS DA AVALIAÇÃO INTERNA
Primeira: preparação


– Constituição da CPA
– Sensibilização
– Elaboração do Projeto de avaliação


Segunda: desenvolvimento


  – Ações
  – Levantamento de dados
  – Análise das informações e relatórios parciais


Terceira: consolidação e elaboração de relatórios


  – Relatório
  – Divulgação
  – Balanço crítico

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar